fbpx

Veja 7 dicas indispensáveis para reduzir custos na empresa

Reduzir custos na empresa é importante por uma série de motivos. O corte preciso melhora a saúde do negócio, aumenta a margem líquida do exercício, garante mais rentabilidade aos sócios ou investidores e, além de tudo, gera vantagem competitiva.

Entretanto, pode não ser uma tarefa tão fácil. É necessário entender que alguns custos são estratégicos e, na verdade, devem ser ampliados. Outros precisam ser eliminados ou reduzidos ao máximo. A tarefa-chave, então, é selecionar e cortar os custos certos.

Nos tópicos abaixo, vamos mergulhar fundo no assunto. Explicaremos exatamente como reduzir custos na empresa e quais cuidados devem ser tomados. Continue a leitura!

1. Comece negociando com seus fornecedores

Eliminar custos pode ser uma atividade dolorosa. Por exemplo, se você corta custos que beneficiam a equipe de trabalho, pode ter colaboradores temporariamente insatisfeitos. Por isso, é preciso começar por onde dói menos: pelos seus fornecedores.

Faça uma lista com os nomes de todos eles, sobretudo daqueles de quem você compra de maneira periódica. Analise os valores pagos nas últimas transações e o que pode ser reduzido. Pequenas reduções, entre 2% e 5%, já fazem uma grande diferença.

Depois, ligue para o seu fornecedor. Seja claro sobre o desconto de que precisa e não aceite o primeiro não como resposta. Insista! Descubra quanto outros fornecedores estão cobrando pelo mesmo produto e utilize esse número como “arma” na negociação.

2. Identifique os custos que não são estratégicos

Quase toda empresa conta com uma enorme quantidade de custos. Alguns deles são estratégicos e otimizam a performance da empresa, como é o caso de tecnologias e despesas com vendas. Outros, porém, não geram vantagens: são custos não estratégicos.

A lista desse tipo de custo é longa e começa pelos impostos. Você também tem as contas de aluguel, água e energia, limpeza, entre outros gastos. Todos promovem um baixo retorno sobre investimento e não melhoram o desempenho financeiro/comercial da sua empresa.

Portanto, sempre que possível, reduza seus custos não estratégicos ou simplesmente elimine-os. Por exemplo, sente-se com o contador da empresa e avalie se todos os tributos pagos (taxas, impostos ou contribuições) se justificam ou se podem ser eliminados.

3. Dê atenção aos pequenos custos diários

Um erro grave (e comum) é acreditar que pequenos custos não merecem sua atenção. Uma xerox, uma ligação telefônica, um copo descartável, até mesmo o cafezinho. Por que olhar para coisas que custam alguns centavos? A melhor resposta é: o efeito cumulativo.

Mesmo que você não perceba, tais custos tendem a se acumular. Um copo de café é pouco, mas alguns copos já começam a pesar no bolso e uma centena deles pode até pagar a conta de energia. O mesmo ocorre com vários outros pequenos itens consumidos na empresa.

Portanto, é bom colocar tudo na ponta do lápis. Liste os seus menores custos, depois agrupe-os para descobrir o efeito acumulado. Crie uma estratégia para reduzi-los em 10% ou 50%, progressivamente. Assim, conseguirá construir um negócio mais enxuto.

Powered by Rock Convert

4. Estabeleça um teto para os seus gastos mensais

Definir um teto de gastos é outra ideia interessante. Como o nome sugere, é um limite que não pode ser ultrapassado, salvo a ocorrência de eventos não recorrentes. Esse teto deve ser conhecido e respeitado por todos da empresa, a começar pelo seu proprietário.

Há muitas formas de determinar o teto de gastos. A mais fácil e eficiente é olhar o quanto você gastou nos últimos 12 meses, depois tirar uma média e estabelecer seu teto. Algo 5% ou 10% abaixo da média pode forçar a redução de custos, bem como orientar a equipe.

No entanto, essa estratégia é recomendada para negócios mais maduros, que contam com um maior grau de previsibilidade das suas receitas e despesas. Negócios iniciantes ou em franco crescimento podem ter dificuldades de definir e cumprir um teto.

5. Implemente a chamada economia de escala

Uma boa dica é olhar os seus custos pela proporção. Imagine, por exemplo, que você produz um par de sapatos e paga R$ 10,00 em energia. Depois, você produz dez pares e paga o mesmo valor em energia. O custo foi diluído e, proporcionalmente, tornou-se menor.

Sempre que você aumenta a produtividade da sua empresa, fazendo mais coisas com a mesma base de recursos, está alcançando a chamada economia de escala. O ponto central dessa estratégia é obter mais resultados sem precisar gastar mais dinheiro por isso.

Nesse caso, é importante tomar medidas para aumentar sua produtividade. Invista na melhoria dos seus processos, no treinamento dos seus funcionários, na redução do número de erros, problemas e desperdícios. Assim, conseguirá fazer mais com os mesmos recursos.

6. Envolva seus colaboradores no processo

Pode ficar mais difícil reduzir custos na empresa sem o apoio da sua equipe de trabalho. Então, trate de envolver todo mundo no processo. Quanto mais os talentos estiverem engajados nos cortes de gastos, maiores as chances de a iniciativa ser bem-sucedida.

Uma tática simples é se reunir com o time, explicar a situação e pedir ideias. Surgirão propostas de todos os tipos, algumas completamente inviáveis. É seu papel tirar aquelas que fazem algum sentido, depois testá-las e promover algumas melhorias.

Se o time estiver pouco entusiasmado com a ação, aproveite para explicar que o propósito é manter a saúde da empresa e preservar empregos. Nunca o oposto! Se possível, estabeleça recompensas não financeiras para as melhores ideias, como dois dias de folga.

7. Invista em boas tecnologias gerenciais

Algumas vezes você precisa investir para economizar. Um ótimo exemplo disso vem da modernização da empresa. Boas tecnologias reduzem a burocracia, melhoram os processos diários e os resultados econômico-financeiros, gerando a já citada economia de escala.

Quer um exemplo? O software WM10, que consiste em um sistema ERP para lojas físicas e virtuais. Ele permite digitalizar processos e monitorar os resultados por meio de painéis digitais (dashboards). Dessa forma, agrega controle, velocidade e precisão diária.

Veja, agora você está por dentro do assunto. Lembre-se de que reduzir custos na empresa é útil para manter o negócio saudável e competitivo, além de preservar empregos. Com práticas eficientes, como renegociar preços, cortar gastos supérfluos, investir na produtividade e adotar novas tecnologias, os impactos positivos logo serão percebidos.

Gostou do nosso artigo? Pois que tal entrar em contato conosco e descobrir como podemos ajudar você a reduzir custos e obter mais competitividade? Vamos lá!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.